Relações ocasionais yopal


Journal of Interpersonal Violence, 14, 125-137.
Este é um resultado que merece mais exploração, na medida em que existem autores (Neufeld, McNamara, Ertl, 1999) que, num estudo sobre a violência no namoro, anúncios de meninas procurando caras concluíram que o comprometimento emocional contribuía para o aumento de violência.
Tabela 2 Prevalência dos vários tipos de violência nas relações ocasionais Violência n Frequência Perpetração Global Física.2.1 Emocional.4 Sexual.4 Vitimação Global Física.3.4 Emocional.1 Sexual.5 Prevalência da perpetração de violência A violência física no contexto de uma relação ocasional foi relatada por.1 dos.
) e vítimas (.082;.s.
Quando a violência física foi associada com a violência sexual, encontra-se também uma associação estatisticamente significativa 2 (1)34.577;.001, verificando-se que.8 da população adoptou actos físicos e sexualmente abusivos contra um parceiro ocasional.No que diz respeito especificamente à violência na intimidade juvenil, os estudos iniciaram-se em 1981, com a investigação de Makepeace (citado por Lewis Fremouw, 2001 que veio apresentar indícios de violência em uma de cada cinco relações amorosas estabelecidas por estudantes universitários. Links Johnson,.Cyr, McDuff, Wright, 2006; Neufeld, McNamara, Ertl, 1999; OKeefe, 1997).No entanto, OKeefe (1997) aconselha prudência na interpretação destes dados, uma vez que este resultado pode decorrer simplesmente das oportunidades para a violência, ou seja, quanto mais parceiros teve um indivíduo, mais probabilidades teve de enfrentar conflitos nessas relações e mais oportunidades teve para perpetrar.Child and partner maltreatment: Self-reported prevalence and attitudes in the North of Portugal. Links Gidycz,.A década de 60 ficou marcada pelo desenvolvimento de inúmeros estudos no âmbito da violência conjugal (Heritage, Carlton, West, 1996 sendo, contudo, hoje evidente que a violência na intimidade não se restringe a este contexto relacional.N., Hall,.T., Kiser,.,.



Prevalência da vitimação Contrariamente ao que ocorre quanto à perpetração, a vitimação emocional surge como o tipo de violência mais sofrido nas relações ocasionais, já que.1 dos sujeitos relatou ter sido vítima de pelo menos um acto desta natureza ao longo das relações ocasionais.
Apenas 2 dos indivíduos admitiram não nutrir qualquer sentimento pelo parceiro, enquanto.4 relataram sentimentos de amizade.
o mesmo acontecendo ao nível da vitimação física ( Z -1.227;.s.
Links Lavoie,., Hébert,., Tremblay,., Vitaro,., Vézina,., McDuff,.Por outro lado, ainda que seja o tipo de violência menos prevalente nas relações ocasionais, a violência sexual nestes envolvimentos atinge também níveis elevados (perpetração.4; vitimação.5 bastante superiores aos encontrados num estudo exploratório sobre a violência sexual em jovens universitários que abrangia diferentes.Matos, Féres-Carneiro, Jablonski, 2005 evitar o afastamento entre ex-namorados ou procurar a proximidade de alguém de quem se gosta, tentando construir uma ponte para um futuro relacionamento (Manning, Giordano, Longmore, 2006).Esteja também atento/a aos seus próprios sinais de desconforto.Por sua vez, não se encontram associações significativas entre envolvimento emocional e perpetração de abuso emocional 2 (1)2.030;.s.Se necessitar de apoio, contacte.DiscussÃO DOS resultados Este estudo permite, antes de mais, salientar o quão frequentes são as relações afectivas ocasionais entre os jovens, já que.3 dos participantes da amostra relatou já se ter envolvido neste tipo de relacionamentos.



da perpetração emocional (.252;.s.
Mais recentemente, uma revisão de três estudos de grande dimensão, conduzida por Magdol, Moffit, Caspi, Newman, Fagan e Silva (1997 indicou dados de prevalência na população jovem adulta situados entre.8 e.8.

[L_RANDNUM-10-999]
Sitemap